Cidade de Esgares

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cidade de Esgares

Mensagem por Nathan em Qui 17 Mar 2016 - 15:05

Nome do Lugar: Cidade de Esgares

Amplitude geográfica: Uma cidade de médio porte localizada aos pés das montanhas que lhe renderam o nome, Esgares. A população se divide entre aqueles que vivem no interior da própria cidade e uma boa parte da mesma que se espalha pelos vastos campos da região, onde trabalham a terra, ou no coração das montanhas, onde escavam constantemente em busca de valorosos minérios de prata. Esgares está localizada no extremo oeste do reino, no limite da Floresta de Luviah.

Histórico: As montanhas localizadas a norte da cidade de Esgares sempre foram conhecidas pela presença de perigosas criaturas selvagens. A atividade de feras por toda parte fez com que desde a colonização da região, os humanos tivessem um cuidado especial ao se aventurarem para a região montanhosa onde escavavam minas para extração de metais preciosos, entre eles a prata. De todas as criaturas selvagens, nenhuma causava mais danos e levavam mais temor aos corações dos mineradores do que os lobos gigantes conhecidos como fenrigs. Sabe-se que alguns destes lobos chegavam a ser dóceis e facilmente domáveis em outros lugares de Hedoron, o que não era o caso das criaturas que viviam na região de Esgares. Desde o período de dominação dracônica pré-colonial, uma tribo de metamorfos canídeos habitava as montanhas de Esgares, e estes atiçavam os fenrigs para torná-los violentos e ajudarem a proteger seu território instintivamente.

Após conseguir lidar com a ameaça dos fenrigs, o povoado de Esgares começou a crescer e os colonos começaram a trabalhar as terras férteis da região, plantando principalmente grãos diversos e algodão. Entretanto, logo as primeiras expedições às montanhas mudariam completamente os rumos do vilarejo. As montanhas se provaram ricas em prata, atraindo rapidamente a atenção do restante do reino. Para coordenar e regulamentar a abertura de minas para extração da prata, logo se formou a Guilda dos Mineradores, preocupada principalmente com a segurança dos trabalhadores e com a defesa da região contra invasores e saqueadores e os terríveis fenrigs. Assim, desde o início da colonização houve um forte apelo militar entre os habitantes da cidade, que assim como os colonizadores originais do reino, eram Clifistas. Com o passar do tempo, foram ganhando influencia na cidade as companhias mercenárias que contratavam jovens da cidade e eventualmente viajantes para enfrentar não apenas os fenrigs, mas também os goblins, orcs, anões e até mesmo humanos bárbaros que viviam nas Montanhas de Esgares. Isso sem mencionar outras criaturas selvagens que vez ou outra emboscava os trabalhadores das minas. As Companhias eram sustentadas pela Guilda dos Mineradores, e acabavam vivendo em uma espécie de simbiose, benéfica para todas.

Na verdade, Orpheus, um bartalun negociador já observava o Reino de Túrion orquestrava planos para corromper a monarquia clifista e era o maior responsável pela ferocidade dos fenrigs de Esgares, influenciando seu comportamento através de rituais inférlicos, como uma forma de conter a expansão territorial dos colonizadores e preservar as riquezas das montanhas de Esgares para uma futura exploração marilista. Percebendo que os fenrigs estavam cada vez mais sob controle, e a expansão clifista era cada vez mais rápida, Orpheus orquestrou um plano para aumentar a ameaça contra a Guilda dos Mineradores. Orpheus decidiu atuar sobre os furiosos metamorfos Carnaks, oferecendo para estes o poder necessário para eliminar os invasores de seu território. O que os selvagens não sabiam, no entanto, é que o poder viria com um preço. Os metamorfos ficariam mais rápidos, mais fortes e mais selvagens quando transformados em bestas gigantes, porém eles perderam completamente seu controle sobre tais transformações, assim como não seriam capazes de responder por seus atos durante as noites de fúria. Desde então, todas as noites de lua cheia são períodos de terror, batalhas e morte na região de Esgares, pois tanto os mineradores, quanto os trabalhadores do campo e até mesmo os que vivem no interior da cidade são massacrados pelas criaturas bestiais. Isto atraiu ainda mais a atenção de aventureiros e mercenários para a região, que começou a pagar ainda mais pela segurança dos mineradores nas montanhas e agora também de suas famílias dentro da cidade. Com os mercenários, cresceu o número de hospedagens, tabernas e até mesmo casa de jogos pela cidade, que antes focava suas atenções principalmente na mineração.


Características populacionais: Os nativos de Esgares são em sua maioria humanos, mas não é incomum encontrar “meio-humanos” nascidos do contato com os povos selvagens das Montanhas de Esgares. Com a criação e crescimento das Companhias Mercenárias, membros de todos os povos e raças migraram para a cidade, então representantes de quase qualquer raça civilizada pode ser encontrado no interior de Esgares. Desde tempos remotos, metamorfos do grande canídeo são uma ameaça constante nos campos, florestas e montanhas da região.

Clima: Devido sua localização junto as Montanhas de Esgares, o clima na cidade é um pouco mais frio que no restante do reino. A umidade do ar é relativamente alta durante o ano todo. Chuvas são comuns e costumam vir acompanhadas de raios e trovoadas de pouca intensidade. Uma peculiaridade da região, é que não é incomum nevoeiros densos emergirem da Floresta de Luviah e cobrir toda a região de Esgares.

Características Sócio-Econômicas: Desde sua fundação, a cidade de Esgares sempre foi voltada para a atividade de mineração nas montanhas ao norte da cidade, e dela vinha a maior parte de seus recursos. Entretanto, a riqueza por ela produzida era rapidamente escoada para Godnyr, de onde compravam os produtos produzidos na cidade mais antiga e desenvolvida. Não bastasse essa relação comercial desfavorável, logo surgiu a necessidade de proteção da cidade e a criação das Companhias Mercenárias, onde ia parar o pouco ouro que sobrava para Esgares. l.

Características Políticas: A cidade de Esgares respondia diretamente a monarquia Fortereal por todas as suas atividades, tendo como representante junto à corte o líder da Guilda dos Mineradores, Willian Trusk, mais conhecido como Velho Will. Um homem de meia idade, mas desgastado pela vida nas minas de prata e ferro, e pelos infinitos conflitos contra as tribos das Montanhas de Esgares. A administração interna da cidade, entretanto, ocorre através de uma espécie de conselho comporto por Willian Trusk e os capitães das duas maiores Companhias Mercenárias de Esgares. Desde a queda dos Fortereal e o domínio gorgronista na capital do Reino, Esgares vem sido governada de forma independente.

Características Ideológicas: Seguindo a doutrina de seus ancestrais, os colonizadores de todo reino, o povo de Esgares é em sua maioria Clifista. Com a formação da Guilda de Mineradores e a chegada das Companhias Mercenárias, a influencia Rimertista cresceu significativamente, mas não é impossível encontrar aventureiros das diversas Ideologias interessados em caçar os gorgronistas que infestaram as florestas da região.

_________________
Narrador
avatar
Nathan
Marilista
Marilista

Masculino Número de Mensagens : 4065
Localização : Palmeira - PR
Emprego/lazer : Militar
Nome do jogador : Raphael Figueiredo
Warn :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 07/11/2007

Ficha do Personagem
Nível: 1
Pontos de Vida:
72/72  (72/72)
Pontos de Dens:
79/79  (79/79)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum